Snow white said when I was young, "One day my prince will come." So I wait for that date."

Ler muito romance faz a gente ver amor onde não tem.

Faltam palavras, descrições, canções. Falta tanta coisa para sentir o que um dia sentimos. Falta coragem de assumir, coragem de esquecer, coragem de fazer diferente mesmo quando o que se sente continua igual. E hoje, ao pensar no que escrever eu só consigo me lembrar de uma frase: “Te amo tanto, tanto, tanto que te deixo em paz.” E sei que você vai ler, e vai me dizer que leu e vai me perguntar se era pra você. E mais uma vez vai me dizer que não quer me machucar. E eu vou entender. Não vou cobrar nada porque já fomos longe demais. E no fundo eu só quero que você guarde um pouco mais. E que daqui a muitos e muitos anos nossa memória consiga se lembrar dos nossos jeitos, sorrisos e momentos. Que o tempo nos permita alguns reencontros sem culpas porque é bom sentir sempre mais uma vez. Porque mesmo a gente voltando para outros abraços só o nosso valerá a pena.
~ (Tati Bernardi)

“Menina de porcelana, fácil de ser quebrada. E quando quebrada, difícil de ser consertada. Aparenta ser amarga, mas quem a enxerga por dentro, sabe, ela é mais doce do que mel. Fria, porém quente. Confia desconfiando. Esconde as lágrimas durante o dia, num sorriso. E a noite, esvazia-se. Esvazia-se querendo que como suas lágrimas, a dor fosse também. Usava, sempre, uma máscara – o seu sorriso, para esconder o quanto estava machucada. Pois tinha medo de ser fraca, na frente dos outros. Menina forte, apaixonada, delicada, menina flor. Criou um mundo só seu, o mundo perfeito. Onde não houvesse a famosa, chamada, dor. Onde tudo fosse florido, feito a embalagem que usa pra tentar amansar seu coração agoniado. Onde tudo tivesse o sobrenome, dado de felicidade. Onde ela fosse feliz. Trancou-se em seu mundo, e saia por aí fingindo não se importar com nada, fingindo sorrisos – sorrisos meio sinceros, pois em seu mundo, sim, havia motivos para sorrir…” — Escritora de boteco e Adoecida.